Sábado, Junho 22, 2024
InícioNotíciaSuperlotação no estabelecimento penenteciário de Lichinga inquieta Comissão Parlamentar

Superlotação no estabelecimento penenteciário de Lichinga inquieta Comissão Parlamentar

ESTABELECIMENTO PENITENCIÁRIO DE LICHINGA ACIMA DAS SUAS CAPACIDADES INQUIETA COMISSÃO PARLAMENTAR

A província do Niassa conta com vários estabelecimentos de prisão de reclusos da qual destaca – se a penitenciária de Lichinga a qual nesse momento encontro – se super lotada.

A Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade na Assembleia da República constata com preocupação a superlotação no Estabelecimento penitenciário provincial de Lichinga, no Niassa.
Neste momento, a unidade prisional alberga duzentos e setenta reclusos contra sessenta, da capacidade instalada.

O Vice-Presidente da Comissão dos Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos e de Legalidade na Assembleia da República que terminou esta segunda-feira uma visita de trabalho de cinco dias à província do Niassa, disse que a superlotação das cadeias coloca em causa os direitos humanos, daí que sugere a necessidade de priorizar outras formas de reclusão.

Osório Soto disse que além da superlotação das unidades prisionais, a degradação das suas infra-estruturas e a morosidade processual são outras dificuldades com que se debatem os órgãos da administração da justiça, no Niassa.

Durante cinco dias, a Comissão trabalhou na cidade de Lichinga e nos distritos de Mandimba e Sanga, além de manter encontros com instituições da justiça e visita a alguns estabelecimentos penitenciários.

Loading

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments