Quinta-feira, Junho 13, 2024
InícioNotíciaLançado o livro “Memorias dos Combatentes" no Niassa

Lançado o livro “Memorias dos Combatentes” no Niassa

NIASSA LANÇA O LIVRO “MEMÓRIAS DOS COMBATENTES” NO NIASSA

A Província do Niassa, acolheu o lançamento oficial de um livro  cujo contou a presença do Dinis Vilanculo, Secretário de Estado na província de Niassa.

Memorias dos Combatentes”, é nome do livro editado e lançado, recentemente, na sala do Auditório da Universidade Católica de Moçambique (UCM), extensão de Lichinga, na província de Niassa.
Dinis Vilanculo, Secretário de Estado na província de Niassa, que testemunhou o lançamento da obra da autoria do Instituto de Investigação Sócio-Cultural de Niassa, contendo 378 páginas, classificou o acto de um privilégio, sublinhando ser resultado das pesquisas desenvolvidas pelo ARPAC.
Vilanculo, destacou com orgulho que constitui motivo de satisfação, porque fazem parte do referido livro, combatentes da província de Niassa, cujas memórias foram traduzidas em formato escrito, através de investigadores da Delegação do ARPAC- Niassa.

O governante, salientou que o ARPAC contribui de forma inequívoca, para o enriquecimento da História de Luta Armada de Libertação Nacional, a partir de experiências dos combatentes, garantindo, deste modo, a prevenção e divulgação da História da epopeia libertária.
O presente livro que hoje é lançado, é de extrema importância na medida em que ajudará para o conhecimento da Vida e Obra de cada combatente durante a Luta de Libertação Nacional no solo pátrio, que hoje graças a ele, Moçambique é livre da opressão colonial e da exploração do Homem pelo Homem”- disse o chefe máximo da província de Niassa.

Dinis Vilanculo, Secretário de Estado na província de Niassa


A fonte desafiou o ARPAC a não arredar do seu foco, dada a nobre missão que tem para desenvolver de forma contínua pesquisas ligadas às memórias de combatentes, regime de regulado em geral e, em especial, na Província de Niassa.
Apelamos de igual modo, a desenvolver pesquisas ou estudos de fenómenos nocivos as comunidades e ao meio ambiente por exemplo: queimadas descontroladas, caça furtiva, que são práticas recorrentes um pouco por todo país e com maior foco na província de Niassa” – apelou o governante.
O Delegado do Instituto de Investigação Sócio-Cultural no Niassa, Manuel Vene, destacou que o lançamento do livro é de carácter nacional, sendo que as outras províncias onde a organização está representada, acolheram evento de género no dia 12 do mês corrente, isto é, na passada quarta-feira.

No que tange ao livro, como o título refere: “Memória dos Combatentes”, Manuel Vene acrescentou que é uma obra que procura dar voz aos sem voz, ou seja, a aqueles que não tiveram a oportunidade de verem transcritas em texto as respectivas memórias.
O livro, disponível nas instalações do ARPAC, ao preço de 800 meticais, reflecte a unidade nacional, visto que inclui os depoimentos dos combatentes de todo o país.
E porque queremos atingir a maioria dos combatentes, mais volumes estão programados” – disse Vene.

Delegado do Instituto de Investigação Sócio-Cultural no Niassa, Manuel Vene
Do ponto de vista metodológico e teórico, as memórias possibilitam aos leitores a desfrutar de forma dialética os episódios marcantes da luta, fruto das experiências particulares de cada combatente.
De salientar que o Instituto de Investigação Sócio-Cultural é uma instituição pública de carácter científico-cultural, criada pelo decreto nº 26/93 de 16 Novembro do Conselho de Ministros, com o objectivo de pesquisar, arquivar, conservar e divulgar de forma sistemática a cultura e património cultural moçambicano.
Com sede no Maputo, o ARPAC está representado pelo país por delegações nas províncias de Maputo, Gaza, Sofala, Manica, Tete, Niassa e Cabo Delgado e por núcleos instaladores em Inhambane, Zambézia e Nampula.

Loading

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments