Sexta-feira, Junho 14, 2024
InícioDefesaMoçambique diz esperar "alguma escalada" de incursões rebeldes

Moçambique diz esperar “alguma escalada” de incursões rebeldes

POSSÍVEL VINGANÇA DE INSURGENTES PELA MORTE DO LÍDER

O combate a insurgencia que assola o país continua sendo uma das prioridades das autoridades moçambicanas e parceiros de cooperação. Nos últimos meses, tem se verificado um avanço significativo nesse teor, devolvendo a paz e tranquilidade para várias zonas afectadas pela insurgencia no norte do país.

Portanto, o Ministro da Defesa de Moçambique, Cristóvão Chume, disse ontem, 27 de Setembro que espera “alguma escalada” da acção dos terroristas na província de Cabo Delgado, norte do país, como ato de vingança pela recente morte em combate dos seus comandantes.

“Esperamos ainda mais alguma escalada, mas nós podemos garantir que vamos continuar a combater”, afirmou Chume.

O Ministro da Defesa falava durante a conferência “Mobilizar a Inteligência Colectiva para Combater e Prevenir o Extremismo Violento e o Terrorismo em África- Soluções Africanas para Problemas Africanos”, que arrancou hoje na capital moçambicana.

Cristóvão Chume avançou que o Governo tinha “total certeza” de que os insurgentes iriam “vingar-se” contra a morte em combate, em final de Agosto, do principal líder da insurgência na província de Cabo Delgado, o moçambicano Bonomade Machude Omar, juntamente com outros elementos da liderança do grupo terrorista.

Chume apontou o assassínio de 12 pessoas, este mês, no distrito de Mocímboa da Praia, como prova da acção vingativa dos insurgentes na sequência da “pressão operativa” que está a ser exercida pelas forças governamentais moçambicanas, da África Austral e do Ruanda.

“Estamos cientes de que a eliminação dos comandantes dos terroristas apenas não significa o fim do terrorismo”, enfatizou o ministro da Defesa moçambicano.

Esse desafio, prosseguiu, impõe igualmente o desencadeamento de outras acções, como a criação de oportunidades sociais e económicas às comunidades afectadas pela violência armada em Cabo Delgado.

O Ministro assinalou que as Forças de Defesa e Segurança moçambicanas devem continuar a melhorar as suas capacidades operativas, reiterando o pedido de ajuda aos parceiros internacionais em termos de treino e fornecimento de “material letal”.

Realçando o alastramento do terrorismo e do extremismo violento em África, Cristóvão Chume sublinhou a importância de os países do continente intensificarem a cooperação e a troca de informação para o combate aos grupos locais.

A província de Cabo Delgado enfrenta, há quase seis anos, a insurgência armada com alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

No terreno, em Cabo Delgado, combatem o terrorismo, em ataques que se verificam desde Outubro de 2017 e que condicionam o avanço de projectos de produção de gás natural na região, as Forças Armadas de Defesa de Moçambique, desde Julho de 2021 com apoio do Ruanda e da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC). (RM como fonte).

Loading

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -

Most Popular

Recent Comments